Suinocultores de MS avançam índices de sustentabilidade e são reconhecidos por isso

A quarta edição do Fórum de Desenvolvimento da Suinocultura de Mato Grosso do Sul, bateu recorde e reuniu mais de 500 produtores rurais na sexta-feira (20), no município de Dourados. O evento que debateu os avanços da categoria, constatou altos níveis de sustentabilidade das granjas do estado, e as perspectivas para o segundo semestre do ano, que poderá aumentar a remuneração do produtor que seguir com critérios rígidos de gestão e questões ambientais.

Segundo a Asumas (Associação Sul-mato-grossense de Suinocultores), o volume de recursos recebidos pelos produtores rurais pelo Leitão Vida, programa do Governo do Estado de MS, que bonifica a sustentabilidade, entre outros critérios, poderá aumentar de forma significativa no segundo semestre, uma vez que o nível das granjas tem avançado vertiginosamente.

“A suinocultura sul-mato-grossense está bem sólida. Seu mercado não tem interferência internacional, uma vez que nossa produção acaba indo para produtos industrializados, que é comercializado aqui mesmo dentro do país. Mas temos uma perspectiva positiva, devido a nossa situação regional, os produtores estão cada vez mais técnicos e buscando inovações, com a gestão pessoal e ambiental em dia, isso nos apresenta um cenário favorável, com possível aumento de bonificação por meio de programas como o Leitão Vida”, explica o presidente da Asumas, Alessandro Boigues.

O Superintendente da Semagro, Rogério Beretta, destaca que na meta do Governo de MS, de atingir o status de carbono neutro, até 2030, a suinocultura terá papel fundamental. “É uma cadeia exemplo para as demais. O Governo tem tido uma adesão muita alta ao programa de incentivo e esses produtores estão evoluindo da categoria básica para intermediária, assim como os intermediários estão seguindo para a avançada, e com isso, a maioria tem conseguido atingir as métricas que o Governo do Estado estabelece. Somente em 2021 foram mais de R$ 50 milhões em incentivo pagos. Isso demonstra que a suinocultura está sim, alinhada e produzindo com tecnologia, atendendo a demanda por proteína animal, e atendendo a demanda pela busca de uma energia alternativa”.

Para alcançar esses objetivos o presidente do Sistema Famasul, Marcelo Bertoni, lembra que são necessários conhecimento técnico e ação política. “A Federação e o Senar/MS, junto com a Asumas, acompanha cerca de 150 produtores na cadeia suinícola, contribuindo com o gerenciamento da propriedade rural e aumentamos o nível de sustentabilidade. Produtores que estavam na casa dos 70%, a partir do momento passaram a ser acompanhado pelos ATeGs – Programas de Assistências Técnicas e Gerenciais, foram para 81%”, pontua. “A união das instituições, promove os avanços. Foi a parceria entre Governo do MS, Famasul e Asumas, que viabilizou o Leitão Vida, que traz metas concretas aos produtores rurais, para que consigam maiores lucratividades”, completa.

O Fórum da suinocultura foi realizado em parceria com o Sindicato Rural de Dourados e patrocinadores da iniciativa privada. Entre os destaques do evento, uma homenagem foi feita ao produtor rural Arão Antônio Moraes, que faleceu em fevereiro deste ano e ficou reconhecido como pai da suinocultura de Mato Groso do Sul.

Veja também