Ao lavar as mãos, tomar banho, lavar roupas, louças e usar a descarga do vaso sanitário, forma-se o que chamamos de esgoto doméstico.

O contato com esta água pode causar inúmeras doenças, pois ela carrega uma quantidade de microorganismos ou resíduos tóxicos que provocam o crescimento de bactérias, vírus ou fungos.

Coletar e tratar o esgoto faz parte dos serviços de saneamento de uma cidade. A finalidade da coleta é levá-lo para longe dos imóveis, e isso acontece por meio da rede pública de esgoto.

A rede é um conjunto de tubulações que capta o esgoto dos imóveis e transporta para as estações de tratamento, onde a água será tratada e limpa, depois devolvida para a natureza sem poluir, mantendo a fauna e a flora em segurança.

É na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) que a água impura dos imóveis passa por várias etapas para ser despoluída e devolvida ao meio ambiente. Um processo que leva dias, na fase líquida e sólida, para que sejam retirados todos os dejetos.

A Sanesul está implantando ou ampliando a rede de coleta e de tratamento de esgoto doméstico em várias cidades de Mato Grosso do Sul. São dezenas de obras, investimento de recursos em redes e ligações domiciliares, em bairros e centros urbanos.

O objetivo é oferecer para toda a população este serviço de saneamento que é tão importante para a saúde pública.

O cenário ideal é a universalização do esgotamento para toda a população. Isso significa que todos os municípios devem ter rede de coleta disponível para todos os imóveis, com estações de tratamento operando dentro dos padrões exigidos pela legislação.

A coleta, o tratamento e a destinação adequada do esgoto tornou-se um desafio para o Brasil, onde a maioria das pessoas não possui acesso ao serviço.

É com recursos da própria empresa e federais que a Sanesul, responsável pela operação de água e esgoto em 68 municípios de MS, tem alcançado bons índices de saneamento ao longo dos últimos 41 anos.

A água tratada já é universalizada para todas as cidades em operação. O momento é de investir em parcerias para a universalização do esgotamento sanitário.

Assim, Mato Grosso do Sul conseguirá cumprir o compromisso com a Organização das Nações Unidas (ONU) – uma resolução pela ONU, assinada em 28 de julho de 2010, declarou o acesso à água limpa e segura e ao saneamento básico como direitos fundamentais