O ano de 2020 chega ao fim com boas notícias para o setor do saneamento básico em Mato Grosso do Sul. Depois de selar em outubro uma PPP (Parceria Público-Privada) de R$ 3,8 bilhões entre a Sanesul e a empresa Aegea, o Governo do Estado tem expectativa de universalizar nos próximos 10 anos a coleta e o tratamento de esgoto nos 68 municípios onde a estatal opera.

Hoje, 46% dos domicílios atendidos pela Sanesul têm coleta e tratamento de esgoto. “Você sair dessa cobertura para a universalização é um ganho extraordinário para Mato Grosso do Sul, principalmente para mais de 1,7 milhão de pessoas que serão diretamente beneficiadas com mais qualidade de vida e saúde”, disse o governador Reinaldo Azambuja.

A parceria da Aegea com a Sanesul vai durar 30 anos. Nesse período, R$ 1 bilhão serão investidos em obras de implantação e expansão de sistemas de esgoto. Outros R$ 2,8 bilhões serão empregados na operação e manutenção dos serviços. A empresa privada começa a operar no Estado no segundo semestre de 2021, conforme expectativa da PPP.

Em 41 anos de atuação no Estado, a Sanesul atingiu a universalização do abastecimento de água nas 128 localidades operadas – contando municípios e distritos. Agora, trabalha para a universalização do esgotamento sanitário. Além da PPP com a Aegea, a companhia estatal mantém um cronograma de obras de infraestrutura com recursos próprios e federais.

Em 2020, o Programa Avançar Cidades, por exemplo, avançou com um plano de investimentos para implantação e/ou ampliação do sistema de esgotamento sanitário em 14 cidades. O total de investimentos é de R$ 136 milhões. Outras 40 obras estão no planejamento para 30 cidades. Serão mais R$ 1,3 bilhão em recursos próprios e da Funasa.