Mais Social traz esperança para mãe que deixava de jantar para alimentar os filhos

Os R$ 200 do Programa Mais Social serão a salvação da dona de casa Rosangela Duarte, que não pode trabalhar por causa de uma hérnia no umbigo, mas precisa alimentar seus quatro filhos. Moradora do Jardim Tarumã, ela conta que o marido trabalha para ajudar nas despesas de casa, mas não é o suficiente e tem dia que abre mão de jantar para não faltar para as crianças.

“Tenho quatro filhos. Compra uma coisa, falta outra. Compra o gás, falta para comprar alimento para as crianças”, contou. Antes, Rosangela morava de aluguel no Jardim Noroeste, onde recebia muita ajuda, mas precisou mudar para o terreno da sogra, no bairro Tarumã, por não conseguir pagar a casa. “Estou aqui, a vida vai indo”, conta.

Mesmo sem poder trabalhar, ela faz um esforço e quando a situação aperta, sai com a filha maior para recolher reciclagem e juntar algum dinheiro para comprar alimento. “Quando não tem dinheiro, vou juntar ferro do outro lado da BR. O benefício do Bolsa Família não está ajudando muito, o gás está caro e vou fazer fogo na lenha”, afirma.

Rosangela havia feito a inscrição para o programa Vale Renda, que migrou para o Mais Social. A notícia de que ela receberia o benefício foi dada nesta semana, à noite, quando estava em casa com a família. “Estava pensando essa semana nas coisas que estavam faltando em casa. A moça me ligou a noite dizendo que fui contemplada. Dei graças à Deus. Por isso é bom a gente ter fé em Deus, eu já estava apertada e pensado nessa neném sem leite. A outra ainda usa fralda”, disse.

Emocionada, dona Rosangela deixou um recado para as pessoas que ainda não receberam o benefício. “Quem ainda não foi contemplado, que tenha esperança e muita fé em Deus”. Com o cartão do Mais Social em mãos, ela já planeja comprar a carne que já não fazia parte do cardápio da família há um tempo. “Só estava no arroz e feijão, nem carne comprava mais por causa do preço. Estava comprando umas pelaquinhas”, recorda.

Veja também