MS aposta em grandes investimentos na ciência e tecnologia para tornar o Estado mais moderno

Com o lançamento de programas inovadores na área de ciência e tecnologia, o governador Reinaldo Azambuja mostra que o setor é prioridade na sua gestão e que aposta em projetos para tornar o Estado mais moderno e preparado para o futuro. Esta é a avalição dos gestores que trabalham nesta área.

“O Estado avança em todas as frentes, na área de ciência, inovação e tecnologia, com investimentos em projetos, pessoas e no empreendedorismo, que se trata de um legado que não tem tamanho”, descreveu o diretor-presidente da Fundect (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia de MS), Márcio Araújo Pereira.

Araújo destaca que o atual Governo do Estado dá prioridade à ciência e tecnologia, que traz resultados efetivos e faz a diferença na gestão e desenvolvimento regional. “Mostra que Mato Grosso do Sul está à frente, pois investir neste setor é transformador. Estamos dando o tom e o exemplo ao restante do Brasil. O governador nos dá o respaldo e garantia para continuar o trabalho”.

Para o lançamento de projetos, editais e novos programas no setor foram R$ 33 milhões no ano passado e a previsão é de R$ 48 milhões para 2022. Entre eles o programa “Centelha”, que segue para segunda edição, assim como chamadas públicas da Fundect e o lançamento do programa MS + Ciência.

“Nossa mensagem é que vamos continuar investindo, que venham outras boas ideias, pois recursos disponíveis nós temos para contribuir ainda mais para ciência, tecnologia e inovação. São inúmeros temas de pesquisa, mestrado, doutorado e outros projetos. Acreditar na ciência é esperar grandes resultados”, afirmou o governador.

Investimentos

Entre os grandes investimentos do setor, está o programa “MS + Ciência”, que prevê R$ 30 milhões para financiamento de editais, bolsas, pesquisas e convênios voltados para o setor no 1° semestre de 2022.

Estes investimentos em tecnologia, ciência e inovação vão ajudar na produção de diferentes projetos em áreas como agronegócio, indústria, desenvolvimento sustentável, para impulsionar a economia local, além de tornar a gestão estadual mais ágil e moderna, com menos burocracia. “É assim que nós queremos ver a ciência, tecnologia e inovação aqui no Estado, com recursos e grande capacidade de produzir pesquisas e de gerar resultados”, afirmou o titular da Semagro, o secretário Jaime Verruck.

Outro programa de destaque é o “Centelha”, que segue para segunda edição, onde haverá o investimento de R$ 3 milhões, para financiar 50 ideias inovadoras em negócios de sucesso. O objetivo é estimular a criação de empreendimentos inovadores a partir da geração de novas ideias, e disseminar a cultura do empreendedorismo inovador em todo o território nacional. Na primeira edição foram R$ 1,6 milhão de recursos do governo estadual.

Para contribuir com o meio ambiente e desenvolvimento sustentável, foram mais R$ 8 milhões para selecionar projetos de pesquisa e inovação que contribuam para a neutralização das emissões de gases efeito estufa, em Mato Grosso do Sul. Eles fazem parte da política do “ MS Carbono Neutro”, que visa mitigar toda emissão até 2030.

Neste Edital foram aprovados 11 projetos das instituições: UFGD,UFMS, Embrapa Gado de Corte, Uniderp, Embrapa Agropecuária Oeste, Instituto Senai de Inovação em Biomassa e UEMS. “Lançamos esse Edital há cinco meses, assinamos os termos de outorga, e conseguimos fazer com que isso acontecesse rápido, para que o dinheiro chegue às mãos dos pesquisadores”, ponderou Araújo.

Veja também