Ponta Porã completa 110 anos com saldo positivo de empregos e verdadeiro ‘canteiro de obras’

A cidade de Ponta Porã, também conhecida carinhosamente como ‘Princesinha dos Ervais’, completa nesta segunda-feira (18), 110 anos e com fartos motivos para comemorar. O município que faz fronteira seca com o Paraguai por meio de Pedro Juan Caballero apresenta saldo positivo de geração de empregos no primeiro semestre de 2022, além de ter se tornado um verdadeiro ‘canteiro de obras’ nos últimos anos.

Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) mostram que entre os meses de janeiro a junho deste ano, foram 3.082 admissões e saldo de 246 novos postos de trabalho criados. Os setores que mais empregaram neste período foram o de serviços com 1.046 contratações e o comércio com 1.002.

Apontada atualmente pelo Ministério da Agricultura como a segunda cidade mais rica em agronegócio no Mato Grosso do Sul, e a 16ª do Brasil, a cidade segue ritmo acelerado de crescimento, mostrando sua força em superar os desafios como foi Covid-19.

Além disso, moradores e turistas também podem contemplar diversas obras em todos os pontos do município, entre elas, a do contorno viário que está na fase final de conclusão, o trajeto da rua Guia Lopes até a BR-463 que também recebe mudanças.

Com o trecho de oito quilômetros do contorno norte, até a rodovia MS-164, já pronto, e a conclusão do contorno sul, que serão 16 quilômetros ligando as duas rodovias. Com término do trecho atual, logo Ponta Porã terá como desviar o trânsito de veículos pesados da área central da cidade, desafogando o tráfego e levando mais segurança a população.

“É um povo alegre, bravo e guerreiro esse povo da nossa ‘Princesinha dos Ervais’. Povo feliz, de uma Ponta Porã que só cresce e muito ainda tem a se desenvolver. Agradeço sempre a oportunidade e a confiança da população em nosso trabalho. Vamos chegando aos 110 anos de nossa cidade com muita confiança de que podemos ainda fazer muito mais”, parabenizou o prefeito Hélio Peluffo.

Um pouco de história

Historiadores e antigos moradores de Ponta Porã contam que o município surgiu de um vilarejo formado às margens da lagoa que leva o nome da cidade. O local era ‘parada’ aos ervateiros que vinham da região sul do país. Era também ponto de comercialização, onde os viajantes faziam suas trocas e compras para seguirem viagem.

O vilarejo aumentou com a permanência de muitos carreteiros que resolviam se instalar pela região, cansados das viagens que muitas vezes duravam vários meses nas carretas campesinas. Com a localidade ganhando residências e forma, herdou o nome da lagoa, se tornando a comunidade de Ponta Bonita, sendo esse então, o primeiro nome deste município.

A emancipação de Ponta Porã ocorreu em 18 de julho de 1912, através do Decreto nº 617 do então governador de Mato Grosso, Joaquim Augusto Costa Marques, estabelecendo os limites do município, ao Norte os rios Ivinhema, Brilhante e Santa Maria. Leste pelo Rio Paraná, a Oeste pelos municípios de Bela Vista e Maracaju, e ao Sul pelo Paraguai.

Assim sendo, de Dourados até Mundo Novo, tudo pertencia ao novo município de Ponta Porã, formando uma população de 40 mil pessoas na época da década de 1930.

A instalação do município de Ponta Porã, ocorreu em 25 de março de 1913. Essa data até 1988 era o dia em que se comemorava o aniversário da cidade. O primeiro prefeito foi o gaúcho Ponciano de Mattos Pereira.

Em 1943, o presidente Getúlio Vargas elevou Ponta Porã a Território Federal, que durou cerca de três anos, sendo extinto em 1946, pelo presidente Eurico Gaspar Dutra.

Veja também