O comércio na fronteira vem sendo feita de forma improvisada.(Foto: Antonio Coca)

Autoridades brasileiras e paraguaias seguem em entendimentos diplomáticos para a reabertura do comércio entre os dois países proibido desde o começo d pandemia do Covid 19, e em cerca de 10 dias um protocolo neste sentido deverá ser finalizado e depois será analisado por autoridades sanitárias e alfandegárias e pelos Ministérios de Relações Exteriores do Brasil e do Paraguai.

No momento o comércio na região de fronteira vem sendo feito de forma improvisado sem a permissão de circulação de pessoas entre os dois países. Os paraguaios temem que a presença dos turistas brasileiros faça explodir o número de contaminados pela Covid 19 que estaria sob controle no Paraguai e descontrolado no Brasil com cerca de 100 mil mortes e mais de três milhões de casos confirmados.

De acordo com o ministro de Relações Exteriores do Paraguai, Antônio Rivas, a fronteira entre Pedro Juan Caballero e Ponta Porã é a que mais vem sendo discutida. “Podemos dar notícias boas até o final da próxima semana”, disse ele sobre o prazo de finalização do protocolo.

Segundo o ministro, a fronteira do Paraguai com Argentina é considerada “tranquila”, tanto que o movimento de carga e mercadoria nunca foi interrompido. Contudo, os países também estudam implantar um plano de biossegurança.

A fronteira entre Brasil e Paraguai foi fechada em 24 de março, devido a pandemia do coronavírus. Desde então, apenas mercadoria considerada necessária para abastecer o país vizinho foi autorizada a entrar. A provocou o encerramento de milhares de comércios no Paraguai e demissão em massa, já que o país depende principalmente do Brasil.