Capacitação gratuita ensina sobre processamento artesanal da soja

E quem não gosta de uma almôndega suculenta, um quibe sequinho ou um hamburguer ao ponto. Opções comuns do cardápio ganham novas versões à base de soja. Além das potencialidades na indústria e na exportação, a produção artesanal de derivados deste grão também é sucesso na cozinha.

Um alimento calórico, proteico, rico em fibras e minerais. “Os açúcares presentes no grão são considerados de ação probiótica, melhora a atuação de bactérias benéficas no intestino e a gordura boa ajuda a equilibrar os níveis de colesterol e triglicerídeo”, destaca a nutricionista Ana Carla da Silva, instrutora do Senar/MS.

No curso ‘Produção de Derivados de Soja’ o aluno aprende a preparar o grão, fazer o processamento do extrato e resíduo, além do preparo da farinha, ingredientes básicos para a produção de diferentes receitas.

“A versatilidade é uma das características deste grão. Com o resíduo da soja é possível preparar sobremesas como o bom bocado, manjar, ou mesmo uma farofa, um bolinho frito, uma salada e porque não um suco refrescante”, comenta.

O objetivo é esclarecer e estimular o consumo deste alimento, de forma prática, criativa e saborosa, incluindo na mesa uma opção de alimentação saudável.

Custo

O quilo da soja para uso culinário custa em média R$ 12. Para preparar uma receita de almôndegas, por exemplo, precisa algo em torno de 500 gramas do resíduo, ou seja, aproximadamente R$ 3,50.

Veja também