Em 11 meses, Estado gerou 16.511 novas oportunidades de trabalho para a população.(Foto: Raul Schramm)

Pelo sexto mês consecutivo, Mato Grosso do Sul mais contratou do que demitiu. Em novembro, foram criadas 5.602 vagas de trabalho com carteira assinada no Estado, conforme dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados nesta quarta-feira (23) pela Secretaria do Trabalho do Ministério da Economia.

No período avaliado, 19.850 pessoas foram contratadas. Outras 14.248 foram demitidas. Os setores que mais contribuíram para o saldo positivo de 5.602 vagas criadas foram o comércio (abertura de 2.493 postos de trabalho), serviços (1.950), indústria (1.068) e construção (166). Já o setor da agropecuária mais demitiu do que contratou, fechando novembro com extinção de 75 vagas.

No acumulado do ano, de janeiro a novembro, Mato Grosso do Sul mais admitiu do que desligou empregados. Mesmo na pandemia, o Estado abriu 197.058 postos de emprego e fechou outros 180.547. O saldo positivo é de 16.511 vagas formais de trabalho criadas em 11 meses.

Com esse resultado, o Estado está em nono lugar na geração de empregos no Brasil, ficando atrás de Santa Catarina (67.134), Paraná (61.586), São Paulo (40.856), Pará (38.234), Minas Gerais (36.577), Goiás (28.200), Mato Grosso (26.311) e Maranhão (23.447).