Festival de Inovação Cultura e Arte valoriza artistas de Mato Grosso do Sul

O Fica (Festival de Inovação Cultura e Arte), em sua terceira edição com realização da prefeitura de Ponta Porã e Funcespp (Fundação de Cultura e Esporte), com apoio do Governo de Mato Grosso do Sul e Fundação de Cultura, valoriza os artistas de todo o Estado.

O evento aconteceu de 12 a 14 de novembro, no Parque dos Ervais.

No palco Integração o público conferiu a apresentação do Ballet David Sanchez, de Pedro Juan Caballero, vencedor da última edição do Prêmio Onça Pintada de Dança, em Campo Grande.

Em seguida, a banda Seredipia, também da cidade vizinha a Ponta Porã, e formada apenas por mulheres fronteiriças, manteve a tradição do talento musical da região com um show recheado de clássicos do rock latino.

A banda Vinil Blue de Ponta Porã foi a segunda atração da noite no palco Integração com um repertório de músicas autorais mesclada a sucessos do rock nacional.

O show principal ficou com The Rockfeller de Campo Grande, que fez um verdadeiro tributo ao bom e velho rock and roll, fiel à qualidade musical do segmento que é uma linguagem universal, apresentando canções de Queen, Deep Purple, Whitesnake e Pink Floyd.

“A organização do evento, a estrutura, a interação com o público, tudo estava perfeito para um bom show. Ponta Porã está de parabéns pelo Festival de Inovação Cultura e Arte que possibilita integrar os artistas da fronteira com os da capital, criando uma interação entre os artistas e o público de Mato Grosso do Sul”, disse Marcio Armoa, guitarrista do The Rockfeller.

Na segunda noite, o palco Integração recebeu o rock bem construído de Nice Tip de Ponta Porã, que comprovou a veia roqueira da fronteira, com um repertório que agradou em cheio aos motociclistas que compareceram.

O Duo de Folk Rock Filho dos Livres, encerrou a noite com um show conceitual apresentando seus maiores sucessos “Meiga Senhorita”, “Meu carnaval”, “Quintal”, “Toca Raul”.

O Duo ainda surpreendeu e realizou uma sequência de canções do clássico do rock para encerrar com chave de ouro a passagem pelo Fica.

“Estamos muito felizes de participar da edição do Fica, estrutura impecável, organização e a oportunidade de interagir com o público da fronteira que cantou nossas canções e também nos emocionou. Parabéns aos organizadores e ao público de Ponta Porã”, comemorou Guga Borda, vocalista do Filho dos Livres.

A última noite contou com o acústico do grupo Linhas Tortas de Ponta Porã, que aqueceu o público para o que viria na sequência, com canções que transitaram entre o soul, rock e MPB.

A banda Haiwanna de Campo Grande comemorou seus 24 anos de estrada com um verdadeiro tributo ao rock nacional, fazendo um show perfeito com hits de sucessos da

Legião Urbana, Barão Vermelho, Nenhum de Nós, Paralamas do Sucesso, Titãs, Pato Fu, Pitty, Raul Seixas, fazendo o público cantar e recordar dos bons tempos da boa música brasileira.

“O clima e a atmosfera estavam perfeitos para um bom show, estávamos ansiosos em apresentar o nosso trabalho e o perfil do Haiwanna. Acho que nos saímos bem, o público da fronteira é muito receptivo ao estilo musical”, lembrou Hugo Carneiro, vocalista do grupo.

O Fica encerrou a sua programação com um show memorável da banda Muchileiros de Campo Grande, que possui uma interação afinada com o público da fronteira, fazendo todo mundo dançar, cantar e interagir em meio a chuva mansa e tranquila.

Veja também