Para pagar resgate, menonitas fazem arrecadação de alimentos na fronteira

Marcos Morandi

Familiares de Peter Reimeir, de 23 nos que foi sequestrado esta semana nas proximidades dos departamentos de Concepción e Amambay, que fazem fronteira com o Mato Grosso do Sul, organizam cestas básicas para serem entregues como pagamento do resgate. A exigência foi feita por grupos guerrilheiros que atuam na região.
Segundo informações de parentes do sequestrado ao jornal Última Hora, que inicialmente informaram que não tinha os US $ 500.000 exigidos pelos sequestradores, cada cesta custa cerca de US $ 25.000 e serão distribuídas ainda nesta sexta-feira (10) para 20 comunidades.


A entrega dos kits, com óleo, macarrão, farinha, extrato de tomate entre outros alimentos e também vestuários, é uma exigência do grupo criminoso que se autodenomina EPP (Exército do Povo Paraguaio). O prazo dado pelos guerrilheiros termina na próxima segunda-feira (13).


Com a popularidade em baixa e para evitar manifestações política, o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, viajou ao norte do país na última quarta-feira (8) para acompanhar de perto as investigações sobre o sequestro do colono Peter Reimer. Com isso ele deixou de participar das celebrações relativas à Virgem de Caacupé, que aconteceram em Assunção.

Família prepara cestas para pagamento de resgate de jovem sequestrado na fronteira.(Foto: Divulgação)
Pax Primavera
Veja também

Ao continuar navegando nesse site, você concorda com o uso de cookies. Estou ciente Saiba mais