Comoção marca o velório do sertanejo douradense Aleksandro no interior do Paraná

Da redação com Folha de Londrina

Desde às 18h30 de domingo (8), o corpo do cantor sertanejo douradense, Aleksandro é velado no Ginásio Luiz Bom, no Jardim Bandeirantes, zona oeste de Londrina (PR). Quando o caixão chegou, fãs que aguardavam no local desde o início da tarde se emocionaram e começaram a chorar.

Segundo o jornal a Folha de Londrina, o sepultamento do cantor e do assistente Giovani, será nesta segunda-feira (9), no cemitério Parque das Allamandas, no Cilo 3, região oeste da cidade.

O  roadie da banda, Giovani Gabriel Lopes dos Santos, também está sendo velado no espaço esportivo. O tio de Giovani, o soldador José Paulo Santos, não acreditava na morte do sobrinho. Segundo o parente, o rapaz estava viajando pela primeira vez com os sertanejos. “É doído demais. A família não tá acreditando. Estava realizando o sonho dele. Estamos arrasados. É difícil até de falar”, disse.

Da estrada para a vida

Cantores conhecidos do meio sertanejo também prestaram a última homenagem a Aleksandro. Em entrevista coletiva, Conrado Bueno, que fez dupla até 2019, estava bem emocionado (veja vídeo abaixo(. “É uma grande tragédia. Não tenho nem palavras. Saí por decisão própria porque estava cansado das viagens, das madrugadas, mas minha relação com ele era muito boa”, lamentou.

O cantor Loubet foi outro que se despediu do amigo. “Era uma relação de amizade, de companheirismo. Eles gravaram uma música minha e me incentivaram a não ser só um compositor. Uma perda enorme para a música sertaneja”. Marky, da dupla Léo e Marky, era um dos artistas que mais conheciam pessoalmente Aleksandro. “Com a pandemia, nos aproximamos muito. Ia com ele nos eventos e construímos uma amizade que se estendeu pras nossas famílias. Com ele não tinha tempo ruim. Era violão no peito toda hora e só música boa”, explicou o amigo.

Trajetória

Luiz Aleksandro Talhari Correia, conhecido pelo nome artístico Aleksandro, fazia dupla com Conrado. Ele morreu na manhã de sábado (7), por volta das 10h30, quando o ônibus em que estava tombou na rodovia Régis Bittencourt, perto de Miracatu, cidade do interior de São Paulo. Natural de Dourados e morando em Londrina, o cantor tinha 34 anos e deixa a esposa e três filhos, de 11, sete e um ano e nove meses.

Outros cinco integrantes da equipe da dupla Conrado & Aleksandro também morreram. De acordo com apurações da PRF (Polícia Rodoviária Federal) de São Paulo, o pneu dianteiro esquerdo do veículo que transportava 19 pessoas estourou, fazendo com que o motorista perdesse o controle e tombasse no canteiro central. No momento do acidente, a dupla sertaneja e sua equipe seguia de Tijucas do Sul (PR) onde se apresentaram na noite de sexta-feira (6), para São Pedro (SP), cidade onde se apresentaria no sábado (7).

O cantor João Vitor Moreira Sales, o Conrado, que também estava no ônibus, está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional de Registro, interior de São Paulo.

Outros quatro integrantes da equipe também morreram no acidente. Wisley Aliston Roberto Novais (músico), será velado em Sandovalina (SP); Marzio Allan Anibal (músico), em Ibiporã; Gabriel Fukuda (técnico de luz), em São Sebastião da Amoreira;  e Roger Aleixo Calcagnoto (músico), em Londrina.

Veja também