DOF causa prejuízo de mais de R$ 280 mi ao crime na região de fronteira

Ações do DOF (Departamento de Operações de Fronteira) no combate aos crimes transfronteiriços já causaram um prejuízo milionário às organizações criminosas que agem em todo o Brasil e tentam utilizar o Mato Grosso do Sul como porta de entrada para ilícitos que saem do Paraguai e Bolívia.

Somente nos primeiros quatro meses de 2022 as apreensões ligadas ao tráfico de drogas, contrabando e descaminho já causaram um prejuízo de mais de R$ 280 milhões.

Com mais de 1.500 quilômetros de fronteira com Paraguai e Bolívia, o Departamento tem se consolidado como uma referência no país. No primeiro quadrimestre foram apreendidas mais de 45 toneladas de maconha, além de 1,7 tonelada de cocaína e pasta base de cocaína.

Também foram retirados de circulação mais de 185 mil pacotes de cigarros, além da apreensão de 15,9 toneladas de defensivos agrícolas oriundos do Paraguai, principais produtos contrabandeados do país vizinho.

Segundo o diretor do DOF, coronel Wagner Ferreira da Silva, o trabalho realizado na região de fronteira é importante para interromper não somente o comércio de drogas e cigarro, mas também os vários outros crimes que são consequência direta dessas práticas criminosas.

“O tráfico de drogas alimenta diversos outros crimes como roubo, furto, tráfico internacional de armas e a violência como um todo. Ao interceptar essas cargas e veículos em Mato Grosso do Sul nós estamos trabalhando para o Brasil inteiro, minimizando essas agressões a sociedade, descapitalizando as organizações e retirando de circulação os criminosos responsáveis por essas práticas ilícitas”, ressaltou coronel Wagner. 

Veja também