Balanço total divulgado nesta segunda-feira (4), pelo DOF (Departamento de Operações de Fronteira) mostra que em 2020, foram apreendidas 264,1 toneladas de drogas em solo sul-mato-grossense. O número é considerado um recorde para o Departamento, que também realizou no ano passado a maior apreensão de entorpecentes do Brasil.

O fato aconteceu no mês de agosto, no município de Maracaju. Na ocasião, foram apreendidas 33,3 toneladas de maconha, transportadas num bitrem.

Até então, o recorde dessas apreensões era 107,2 toneladas em 2019.  Nos últimos dez anos, o DOF apreendeu 786 toneladas de drogas, das quais 264 somente em 2020, ou seja, 33,5 % de todo o volume aprendido na última década.

Cigarros

Além das drogas, também houve um volume expressivo de apreensões de cigarros contrabandeados do Paraguai. De acordo com o Departamento de Operações de Fronteira, no ano passado, foram mais 1 milhão de pacotes apreendidos – em 2019, esse total foi 338 mil [pacotes].

Esse aumento passa de 209%. Somente com esses dois produtos ilícitos (drogas e cigarros), traficantes e contrabandistas tiveram um prejuízo de aproximadamente R$ 500 milhões.

Agrotóxicos

As ocorrências envolvendo agrotóxicos e pneus também foram as maiores da história do DOF e tiveram um aumento de 472,4% e 209,5%, respectivamente, no comparativo com 2019.

As apreensões nos crimes de descaminhos também foram recordes em 2020, quando foram apreendidos mais R$ 20 milhões em produtos, cerca de R$ 15 milhões a mais que o ano de 2019. A grande maioria destes produtos são eletrônicos.

Outros crimes

Ainda no ano passado, o DOF prendeu 35 pessoas que estavam com mandados de prisões em abertos. 65 armas de fogo também foram apreendidas, 123 veículos produtos de roubo/furto recuperados e 686 automóveis envolvidos em diversos crimes, principalmente contrabando e descaminho.