O acusado estava morando em Campo Grande e foi preso na operação.(Foto: Divulgação)

O DRACCO (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado) deu apoio à Polícia Civil de Campinas-SP no cumprimento de um mandado de prisão e de busca e apreensão na residência de investigado por integrar organização criminosa voltada à prática de estelionato, receptação, furtos de cargas e falsificação de documentos.

A prisão foi efetuada às 6h da manhã, desta segunda feira, no Bairro Buriti, em Campo Grande, e é decorrente da Operação denominada “Invoice”, que é uma referência ao significado da palavra na língua inglesa, que quer dizer “nota fiscal”.

Trata-se da segunda fase da operação, tendo sido cumpridas ao todo 21 mandados de busca e apreensão e outros 13 de prisão, em 5 Estados: São Paulo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Rio de Janeiro. A investigação é presidida pela DIG de Campinas.

Primeira Fase

A primeira fase da Operação Invoice foi deflagrada no dia 27 de abril. Na ocasião, foram cumpridos 5 mandados de prisão e 26 de busca e apreensão em nove cidades de São Paulo e Minas Gerais. No mesmo dia, um homem apontado como chefe de uma quadrilha de estelionatários que atuava nos dois estados, por meio de redes sociais e sites de compra, foi preso.

Os golpes eram aplicados há cerca de um ano, e o prejuízo gerado às empresas foi calculado pela polícia em R$ 5 milhões. O delegado responsável pelo caso, José Carlos Fernandes, afirmou à época que o suspeito tinha um grupo no Whatsapp e fazia encomendas para outros estelionatários. Pegava os produtos e revendia por um preço mais barato na internet.