Katia Uemura diz que segurança não matou por legítima defesa

A procuradora de plantão Katia Estela Uemura anunciou que o segurança que matou Fabián Fernando Franco Arar, de 31 anos será indiciado por homicídio doloso. O crime aconteceu tarde desta quinta-feira (30) na Rua Mariscal López, na esquina da Curupayty, no centro de Pedro Juan Caballero.


Uemura alegou que o caso não pode ser considerado como legítima defesa, uma vez que a vítima estava desarmada. “Concluímos que existe um homicídio doloso, porque ele (o guarda) reagiu de forma muito mais grave do que o Fabián, que estava desarmado. Como não há correlação, não pode ser considerado um caso legítimo defesa”, justificou a procuradora.


O vendedor ambulante um tapa na cabeça do segurança. De imediato houve reação e, então com uma espingarda 12 milímetros na mão, ele disparou um tiro que acabou matando o Fabian. A vítima, segundo a procurada de Justiça, estava de costas.

Veja também