BOPE se prepara pra entrar no Ricardo Brandão.(Foto: Antonio Coca)

Já dura mais de seis horas a negociação para a libertação de um policial penal feito refém por três presos amotinados no Presídio Ricardo Brandão em Ponta Porã. Uma comissão de advogados representantes da Ordem dos Advogados do Brasil esteve no local e deixou o presídio sem que uma solução fosse encontrada para a libertação do agente que está em uma cela onde os presos rebelados ameaçam mata-lo com uma faca.

Há pouco dezenas dos de policiais d Batalhão de Choque da Policia Militar chegou de Campo Grande e acaba de entrar no presídio. Uma equipe de negociadores também entrou para tentar convencer os presos a se entregaram e libertam o refém.

Equipes de gerenciamento de crises da AGEPEN já tinham entrado no pátio da Unidade Penal e cerca de 80 policiais e agentes já estão no interior aguardando a negociação. Informações dão conta de que os negociadores não tem onde chegar até os presos amotinados e ao refém pois as chaves das alas anteriores estão em poder dos outros presos.