Foto: ABC Color

Após investigações a Polícia paraguaia descobriu que membros do PCC (Primeiro Comando da Capital), que estão presos naquele país, estão recrutando novos integrantes para a organização criminosa. Ontem (6), um presídio em Ciudad de Leste foi tomado por equipes de antissequestro e de agentes do crime organizado.

Segundo o Midiamax, a operação foi feita depois da descoberta de um plano de massacre entre os membros do PCC e do Clã Rotela. O promotor Lezcano, que participou da operação que teve início às 3h, confirmou a ação dos bandidos em recrutar mais pessoas.

Na penitenciária de Ciudad de Leste estima-se que entre 400 e 500 membros do PCC ocupem as celas. Eles buscam dominar o presídio com confrontos com outras facções, como o grupo do Clã Rotela. O plano de confronto que estava marcado entre as duas facções acabou frustrado pela operação dentro do presídio pela polícia paraguaia.

Policiais fizeram um pente-fino nas celas da penitenciária sendo encontrados diversos celulares, facas artesanais de vários tamanhos e agendas com anotações. Também foi localizado pelos agentes um caminhão com a logomarca da empresa Prosseguir, que segundo o promotor Lezcano seria o ‘cofrinho’ dos membros das facções criminosas.

Em junho, um massacre foi impedido na penitenciária de Pedro Juan Caballero. Uma vistoria feita por agentes acabou encontrando várias armas artesanais, nas celas da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) e Clã Rotela.

No mesmo mês, dez detentos foram mortos decapitados e carbonizados em um confronto entre PCC e Clã Rotela. Os mortos foram identificados como Derlis Silvia, Pedro Duarte, José Osorio, Roberto Morales, Roberto Presentado, Roque Ariel Lugo, Cristian Dominguez, Victor Olmedo, Derlis Sanches e Bruno Cuttier – que chegou a ser socorrido, mas morreu no hospital.