PF pede prisão preventiva de grupo terrorista paraguaio que matou brasileiro

A PF (Polícia Federal) pediu a prisão preventiva de integrantes de um grupo terrorista paraguaio, que matou o brasileiro Jorge Manuel Rios Barreto, de 24 anos, em Bela Vista, região de fronteira entre MS e o Paraguai.

O documento foi encaminhado ao Juízo da Comarca de Bela Vista, e ao todo, quatro pessoas acusadas deverão ser presas. Elas pertencem ao ACA-EP (Grupo Terrorista Paraguaio Agrupação Campesina Armada – Exército Popular).

O Inquérito tramita na Delegacia da Polícia Federal em Ponta Porã.

Já a investigação é conduzida junto ao Departamento Antissequestro da Polícia Nacional do país vizinho.

O crime

O sequestro do brasileiro aconteceu em 28 de junho, em Sargento José Félix López, conhecida como Puentesiño, Departamento de Concepción no Paraguai.

Na época, o grupo exigiu a quantia de US$ 200 mil [dólares] pela libertação da vítima. No entanto, mesmo a família afirmando que pagaria o valor, em 3 de julho, a vítima foi executada com um tiro na cabeça.

Seu corpo foi encontrado por pescadores da região às margens do Rio Apa, que fica na divisa entre Brasil e Paraguai.

Veja também