Notícias de Ponta Porã e Pedro Juan Caballero

Polícia Federal combate garimpo na Terra Indígena Yanomami tem buscas no MS

A Polícia Federal deflagrou na manhã de hoje (29), a Operação Haraquiri, com o objetivo de investigar e interromper atividades relacionadas ao garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami.

Policiais Federais cumprem dez mandados de busca e apreensão em Boa Vista (RR), Alto Alegre (SP) e Campo Grande. Os mandados foram expedidos pela 4ª Vara da Justiça Federal em Roraima após investigações da Polícia Federal e a aprovação do Ministério Público Federal.

O inquérito policial foi instaurado com recebimento de materiais arrecadados pelo Exército em ação contra o garimpo no estado de Roraima. Da análise dos bens apreendidos foi possível identificar a atuação de envolvidos com as atividades ilícitas, em especial a ação de pilotos de aeronaves e helicópteros que seriam responsáveis pelo frete de pessoas e de insumos que viabilizariam a extração ilegal de minério.

Análise de imagens de satélite constantes da investigação indicam a presença de ao menos 20 pistas de pouso ilegais no interior da Terra Indígena Yanomami, as quais viabilizariam a expansão da atividade mineradora irregular na região.

Segundo o inquérito, essa expansão contribuiria para a degradação ambiental de quase 6 mil hectares verificada entre os anos de 2018 e 2020 na reserva indígena.

Além disso, o transporte e permanência de garimpeiros na região estaria relacionado com a possibilidade de infecção e morte de milhares de Yanomami, no atual momento, em razão do coronavírus. Atualmente, estima-se que haja cerca de 20 mil garimpeiros atuando no local, graças, também, à logística área ilegal de bens e pessoas. Os nomes das pessoas envolvidas na atividade irregular e alvos da operação não foram divulgados.

Além dos pilotos, também são alvos das buscas suspeitos de explorarem diretamente o garimpo na região e outros crimes correlatos, como o armazenamento irregular de combustíveis.

*O nome da operação faz alusão ao ato de suicídio “ritualístico” nipônico em razão de um suspeito com ascendência oriental e reconhecido por apelido que enaltece tal condição, durante as investigações e ao perceber que a PF havia encontrado o local de guarda de suas aeronaves, ter optado por destruir dois aviões na provável expectativa de não ser relacionado aos crimes.

Pax Primavera
Veja também

Ao continuar navegando nesse site, você concorda com o uso de cookies. Estou cienteSaiba mais