Polícia Federal deflagra operação Mataa para responsabilizar autores de queimadas criminosas no Pantanal

A Polícia Federal deflagrou a Operação Mataa, na manhã desta segunda-feira (15), em Corumbá e Campo Grande com o objetivo de apurar as queimadas na região pantaneira. A ação cumpre 10 mandados de busca e apreensão e busca responsabilizar autores das queimadas criminosas quem vem causando a devastação do Pantanal sul-mato-grossense.

Conforme informações da Polícia Federal, os investigadores identificaram o início dos focos diários através de imagens feitas por satélite e  após sobrevoar a região pantaneira. São 31 policiais nas ruas em cumprimento da operação, que utiliza aeronaves e embarcações da Polícia Federal para cumprir os mandados de busca e apreensão nos locais investigados.

Até o momento, calcula-se um dano ambiental de mais de 25 mil hectares do bioma pantaneiro queimado, além de prejudicar a fauna que sofre constantemente com as incêndios e já atinge áreas de preservação permanente, se aproximando do Parque Nacional do Pantanal Sul-mato-grossense e da Serra do Amolar. Se comprovado a autoria do crime, os suspeitos responderão pelo crime de dano a floresta de preservação permanente, dano indireto e direto a unidade de conservação, incêndio e poluição.

Operação Mataa

A Operação foi denominada “Mataá”, que significa “fogo” no idioma guató, em referência aos índios pantaneiros Guatós que vivem nas proximidades das áreas atingidas.

Veja também