Polícia identifica assassinos de pai e filho em fazenda de MS

A polícia identificou os assassinados de pai e filho, na cidade de Amambai. A Polícia Civil também divulgou a imagem da arma dos criminosos, mas que foi deixada na caminhonete do produtor rural Olenir Nunes da Silva, conhecido como ‘Nego Silva’, de 50 anos. Os dois foram mortos na última sexta-feira (14).

Segundo o Midiamax, a pistola não foi a usada para assassinar os dois homens, isso porque a mesma estava desmuniciada.

A divulgação da pistola calibre 7,65 seria para ajudar no reconhecimento, e também não é comum de ser encontrada.

O delegado Ulises Rei confirmou que os criminosos foram identificados. Ainda de acordo com o site, um dos autores seria adolescente e ambos os criminosos moradores da região. A polícia faz buscas. 

O crime

Olenir Nunes da Silva, 50 anos, e o filho, Antônio Alexandre Nunes da Silva, de 23, foram mortos quando criminosos encapuzados invadiram a fazenda. Os autores foram filmados pelas câmeras de segurança e teriam cometido o latrocínio para roubarem as camionetes das vítimas.

Antônio chegou primeiro na fazenda e foi fazer café. O pai, Odenir, chegou 15 minutos depois e foi levar um funcionário na camionete até as cercas que precisava ser arrumadas.

Enquanto isso, os bandidos encapuzados chegaram na propriedade e foram até a sede, onde renderam Antônio. O rapaz foi amarrado em um dos quartos e os bandidos saíram, para pegarem a Hilux da vítima, além de uma F1000 que ficava na fazenda.

Neste momento, eles acabaram encontrando com Odenir, que trocou tiros com os bandidos e acabou morrendo no local. Os suspeitos então voltaram até o quarto onde estava Antônio e mataram o rapaz com golpes de facão.

O irmão de Odenir, que estava na fazenda vizinha, foi até a propriedade ao ouvir os disparos de arma de fogo. Ele acabou encontrando com os bandidos quando eles saíam com as camionetes e também trocou tiros com os suspeitos.

Os homens então fugiram para uma área de matagal. Equipes do Batalhão de Choque, Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais), GPA (Grupamento de Policiamento Aéreo) com helicóptero, DOF (Departamento de Operações de Fronteira) e dos batalhões de área e outros órgãos de Segurança Pública fazem buscas pelos suspeitos.

Veja também