Polícia investiga se fuzilado com 60 tiros tinha ligação com o PCC

A Polícia investiga se Geraldo Ramos Villa, de 36 anos, fuzilado na sexta-feira (16), em Campo Grande, tinha ligação com o PCC (Primeiro Comando da Capital).

A informação foi divulgada neste domingo (18), pelo Midiamax.

De acordo com a reportagem, um carro queimado foi encontrado em uma área rural, na região do Itamaracá, e pode ter ligação com o assassinato do homem. O veículo passará por perícia.

As armas usadas no crime, fuzil 556 e 762, geralmente são as escolhidas por facções criminosas. Em 2007, Geraldo foi vítima de dois atentados, sendo que neste mesmo ano, ele teria cometido um homicídio, e em 2015, mais uma vez o tentaram matar.

O crime

O assassinato de Geraldo aconteceu por volta das 21h de sexta, quando a vítima guardava a camionete na garagem de casa, sendo que os atiradores chegaram em um veículo HB20, de cor prata. Um dos autores desceu do carro e passou a fazer os disparos contra Geraldo, que foi atingido cerca de 60 tiros.

Uma testemunha que estava indo para casa quando viu Geraldo sendo assassinado e depois dos autores fugindo no carro, de cor prata. A perícia encontrou 57 cápsulas no local, além de quatro munições sendo três percutidas e não deflagradas. Também foram recolhidos no local dois aparelhos celulares que estavam ao lado do corpo de Geraldo.

Veja também