Caminhonete recuperada

Por volta das 19h de ontem (15), o Batalhão de Choque da Polícia Militar foi acionado para recuperar uma caminhonete com registro de roubo em 17 de setembro de 2020. Quem acionou os policiais foi o próprio proprietário do veículo, Valmir Balbim de Souza, residente em Campo Grande.

Segundo o boletim de ocorrência, ele avistou a caminhonete em cima de um caminhão guincho, começou a seguir o mesmo e passando informações aos agentes.

O guincho foi abordado em uma casa localizada no bairro Lageado, na capital. No local, estava um homem e a esposa carregando outro veículo, um Gol G2, branco. Aos policiais, ele disse que escondeu a caminhonete por uma semana a mando de outro indivíduo que está preso, por fazer isso, ele iria receber R$ 200. Ele também contou que foi seu cunhado quem lhe entregou o utilitário, o avisando que se tratava de produto de roubo.

Ontem, novamente o preso teria mandado entregar a caminhonete no bairro Taquaral Bosque. Os agentes então foram até lá, e abordou um carro Astra, conduzido por outro indivíduo. Este seria o dono do imóvel e aguardava o comparsa chegar.

Questionado sobre o que fazia ali, ele disse que estava no local para o uso de droga. Quanto ao roubo da caminhonete, ele entrou em contradição, levantando ainda mais a suspeita dos policiais.

Com a permissão, a equipe da Polícia Militar entrou na residência, e encontrou na sala uma balança de precisão, um rolo de papel filme, cinco porções de maconha dentro de um vidro. Já no quarto, dentro do guarda-roupa, havia 19 tabletes do ilícito, que totalizou 19 quilos e 200 gramas.

Ainda questionando, conforme informações do boletim de ocorrência, o homem contou que um preso contatou ele via Watsapp pedindo para ele guardar a camionete em sua residência pelo valor de R$ 200, e que um cidadão que ele não soube citar o nome, iria buscá-la pela manhã do dia seguinte.

As drogas também seriam dessa pessoa que está presa.

Segundo esse segundo abordado, além de usar entorpecente na casa, ele iria ajudar a guardar a camionete por ser irmão do preso. Durante a permanência da equipe no imóvel, compareceu um suspeito com seu carro Gol de cor Cinza dizendo que foi até o local, pois a mãe estaria preocupada.

Diante dos fatos, os três foram encaminhados para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do centro.