Programa de combate a crimes fronteiriços reúne autoridades na capital

O secretário de Justiça e Segurança Pública, Antonio Carlos Videira, participou na manhã de segunda-feira (6), em Campo Grande, da segunda reunião de trabalho para tratativas do Programa de Proteção Integrada de Fronteiras (PPIF), do Governo Federal. Reunindo diversas autoridades, o encontro aconteceu na sala de situação do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC).

Instituído por um decreto federal em 2016, o Programa de Proteção de Fronteiras visa integrar e articular ações dos órgãos federais, estaduais e municipais fortalecendo a prevenção, controle, fiscalização e repressão dos delitos transfronteiriços.

“Os números no nosso Estado demonstram o trabalho excepcional que tem sido realizado na fronteira. De forma integrada e articulada, as forças policiais têm combatido os crimes fronteiriços; e este é um momento importante de discussão ampla sobre esta gestão”, afirmou o secretário Videira.

Além das demandas estruturais, estiveram em pauta as ações de segurança pública realizadas recentemente nos municípios de fronteira em Mato Grosso do Sul, como a “Operação Divisas Integradas VI- Campo Seguro”. O encontro desta manhã foi organizado pelo Gabinete de Gestão Integrada de Fronteira e Divisas (GGIFRON/DIV), que é responsável pelo desenvolvimento do Programa (PPIF) no Estado.

Entre as autoridades, estavam presentes o secretário de Assuntos de Defesa e Segurança Nacional do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, brigadeiro do Ar Max Cintra Moreira, e o chefe do Centro de Coordenação de Operações do CMO (Comando Militar do Oeste), General de Brigada Valerio Luiz Lange, representando o Comandante do CMO.

“Os estados devem compartilhar experiências e discutir iniciativas, trabalhando protocolos integrados para que o combate ao crime fronteiriço seja cada vez mais eficiente”, ressaltou o secretário da Presidência da República, Max Cintra Moreira.

Fronteira/DOF

O combate ao crime na fronteira sempre foi um dos principais desafios da segurança pública em Mato Grosso do Sul. Uma grande extensão de fronteira seca levou o Governo do Estado a criar uma unidade exclusiva para conter esses crimes, o Departamento de Operações de Fronteira (DOF).

Somente nos últimos dois anos e pouco mais de quatro meses, as equipes do DOF apreenderam 509 toneladas de drogas – 264 toneladas em 2020, 195 toneladas em 2021 e neste ano, até início de maio, 50 toneladas. Desde a criação da força especializada, em 1987, até 3 de maio deste ano foram apreendidos 1 milhão e 136 mil quilos de drogas. Por sua localização geográfica, Mato Grosso do Sul é considerado um grande corredor para o tráfico de drogas e outros ilícitos.

“O DOF tem recebido diversos investimentos que nos permite dizer que até o fim de 2022 teremos uma das mais modernas e bem equipadas unidades de polícia do Brasil”, afirmou recentemente o diretor do DOF, coronel Wagner Ferreira da Silva. Segundo ele, os policiais estão sendo equipados com aparelhos de visão noturna, visores termais, aeronaves pilotadas por controle remoto e armamento de alta precisão, incluindo pistolas calibre 9mm importadas e fuzis 7,62x51mm. Em breve, a unidade terá sua sede própria, em Dourados, e um helicóptero para o policiamento ostensivo na linha internacional.

Reunião

Participaram da reunião: o secretário adjunto da Sejusp, Ary Carlos Barbosa; o secretário de Executivo do Gabinete de Gestão Integrada de Fronteiras e Divisas, coronel Edimilson de Oliveira Ribeiro; o diretor geral do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública, coronel Juracy Pereira da Paz; o superintendente da Polícia Rodoviária Federal, o inspetor Luiz Alexandre Gomes da Silva; o delegado da Polícia Federal Bruno Costa de Toledo, representando o superintendente da Polícia Federal do Estado; diretor geral da Polícia Civil, delegado Roberto Gurgel de Oliveira Filho; diretor geral de Polícia Penal do Estado, Valdimir Ayala Castro; a coordenadora Geral de Perícias, Gloria Setsuko: coordenador do Arco Central/ Secretaria de Operações Integradas (SEOPI)/MJSP, Mário Robson Ribas; comandante geral da Polícia Militar, coronel Marcos Paulo Gimenez; diretor do DOF, coronel Wagner Ferreira da Silva; diretor do Departamento de Assuntos da Câmara de Relações Exteriores e Defesa Nacional, coronel André Luciano Bittencourt Barbosa; representando o comandante da Base Aérea de Campo Grande, o coronel aviador Leonardo Pinheiro de Oliveira; comandante do Corpo de Bombeiros do Estado, coronel Hugo Djan Leite; representando o coordenador geral de Patrulhamento Aéreo, coronel Hipólito Vila Maior; representando o comandante do 6º distrito Naval de Ladário, Capitão de Mar e Guerra da Força Naval Adriano de Oliveira Cunha; assessor Militar da Secretaria de Assuntos de Defesa e Segurança Nacional do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, Capitão de Mar e Guerra José Benoni Valente Carneiro; superintendente da Delegacia da Receita Federal do Brasil, delegado Clovis Ribeiro Neto; e superintendente Estadual da Agência Brasileira de Inteligência do Estado, David Bernardes de Assis.

Veja também