Segundo a Polícia Federal, a quadrilha investigada por tráfico de drogas na Operação Aversa, deflagrada nesta segunda (9), em Mato Grosso do Sul e São Paulo, movimentou mais de R$ 24 milhões em apenas um ano.

Como mostrado anteriormente, o grupo adquiria e construías suas próprias carretas que eram usadas para levar os entorpecentes.

As investigações tiveram início no fim de 2019, depois que quase meia tonelada de maconha foi apreendida e duas pessoas acabaram presas.

Hoje, conforme novas informações da PF, já foram apreendidos caminhões, semirreboques, automóveis, lanchas, moto-aquática, sequestro de bens imóveis, além do bloqueio de valores em contas bancárias.

Somente entre os bens móveis e imóveis, a equipe de investigação estima que mais de R$ 5,5 milhões tenham sido retirados das mãos do grupo.

Mais de 70 policiais cumprem 13 mandados de prisão preventiva e 20 de busca e apreensão nas cidades de Corumbá e Campo Grande, além de Guarulhos, Presidente Prudente, Martinópolis, Regente Feijó e Bauru.

Aversa

Aversa é uma localidade italiana conhecida pela produção de um tipo específico de queijo, cujo nome é o mesmo da alcunha de um dos principais investigados na operação.

Os presos serão conduzidos à Delegacia da Polícia Federal de Corumbá e, após os procedimentos legais, encaminhados ao presídio local, onde permanecerão à disposição da Justiça.