Câmara de Fátima do Sul diz que vai apurar caso de violência doméstica envolvendo vereador

A Câmara Municipal de Fátima do Sul divulgou nota à imprensa na manhã desta terça-feira (25), afirmando que já solicitou cópias dos autos e que vai apurar o caso de violência doméstica envolvendo o vereador Diego Cândido Batista.

Diego foi preso acusado de jogar o próprio filho no chão, bater na esposa e ainda ameaçá-la.

“Em relação ao episódio de violência doméstica envolvendo o nome do vereador Diego Cândido Batista, a Câmara Municipal de Fátima do Sul esclarece que solicitou cópia dos autos e que eventuais faltas éticas serão apuradas com rigor pela Corregedoria Parlamentar, composta pelo vice-presidente, Fabinho de Culturama, como corregedor geral, e pelos vereadores Nelson Ferreira Pisano e Silvana Vasconcelos”, menciona trecho da nota.

A Casa de Leis também afirmou que, “em nome de todos os vereadores, a Mesa Diretora repudia todo e qualquer ato de violência física e moral contra mulheres e se solidariza com todas as vítimas dessa chaga social”.

O caso

A Justiça de Fátima do Sul, negou nesta segunda-feira (24) a liberdade do vereador Diego Cândido Batista (PSD), o Diego Carcará, com isso ele deverá ser enviado para a Penitenciária Estadual de Dourados (PED). Ele foi preso ontem (23), acusado de agredir a esposa depois de uma viagem a Dourados. Carcará também teria derrubado o filho do casal, de um ano no chão.

Policiais militares foram até a casa do parlamentar onde a mulher contou que depois de retornar de Dourados, os dois tiveram uma discussão, após ele derrubar a criança e tentar bater na enteada que também é uma criança com um chinelo. Ao defender os filhos, ela alega ter sido agredido pelo vereador.

Em sua defesa o vereador disse que a mulher foi quem partiu para cima dele e ele apenas tentou se defender. Preso em flagrante ele foi autuado na Polícia Civil de Fátima do Sul por lesão corporal e vias de fato, e enquadrado na lei da violência doméstica.

Veja também