Deputado Trutis, do PSL, é preso pela Polícia Federal

Foi preso pela Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (12), o deputado federal, do PSL, Loester Trutis. Ele é um dos alvos da Operação Tracker que investiga suposto atentado contra o próprio parlamentar ocorrido em 16 de fevereiro de 2020.

De acordo com o Correio do Estado, Trutis foi preso por posse ilegal de armas de fogo, encontradas durante o cumprimento de mandado de busca e apreensão em sua casa, em Campo Grande.

No entanto, ele deve pagar fiança, esclarecer os fatos, e ser libertado ainda nesta hoje. As armas encontradas são de uso restrito das opções de segurança.

Os dez mandados de busca e apreensão foram expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que comanda o inquérito que investiga o atentado contra o parlamentar. A investigação está sob sigilo, mas o Correio apurou que a Polícia Federal ainda não encontrou provas da autoria do atentado.

Em abril de 2019, ainda segundo o Correio, existe a hipótese de que o atentado havia sido forjado.

Trutis, no dia 16 de Fevereiro, foi às redes sociais, e reivindicou ter sido alvo de uma emboscada na BR-060, entre Campo Grande e Sidrolândia. O carro em que ele estava, um Toyota Corolla, foi alvo de vários disparos, nenhum deles acertou o deputado ou seus assessores.

Nestas novas eleições para prefeito de Campo Grande, Trutis tentou candidatar-se, mas teve seu pleito indeferido pela Justiça Federal, após longa batalha com seu correligionário, o vereador Vinícius Siqueira, que assumiu uma candidatura.

Pax Primavera
Veja também

Ao continuar navegando nesse site, você concorda com o uso de cookies. Estou ciente Saiba mais