Após ser humilhada por gerente, funcionária das Casas Bahia de Ponta Porã está em tratamento

Após ser humilhada pelo gerente das Casas Bahia de Ponta Porã, a funcionária Daiana Medina Gomes, de 24 anos, está fazendo tratamento. Ela relata ter passado por violência psicológica e assédio moral há dois anos, tempo em que Giovani de Lima assumiu a gerência do local.

Segundo o site Conteúdo MS, Daiana vem sofrendo pressão desde que as metas aumentaram e os vendedores não estão conseguindo atingir, isso fez com que Giovani ficasse cada dia mais estressado e fazendo cobranças descabidas, como proibi-la de almoçar com colegas, alegando a falta de comprometimento com as vendas.

A funcionária, com apoio dos colegas, denunciou o caso ao seu superior em São Paulo, mas até o momento, nenhuma providência foi tomada sobre o fato que a levou a ter sérios problemas. Atualmente, além de ajuda psicológico, a mulher toma remédios controlados.

Em contato com as Casas Bahia em São Paulo, ainda conforme o site, e questionada sobre quais medidas seriam tomadas em relação ao caso, a empresa respondeu que “a companhia é muito clara em seus valores e princípios de conduta. Repudiamos veementemente todo e qualquer tipo de assédio, práticas ilegais e atos discriminatórios em nossas dependências, incluindo nossa sede administrativa e nossas lojas. Nosso código de ética e conduta, distribuído para todos os nossos colaboradores, é o guia que regula todas as ações da empresa, sendo sua aplicação acompanhada por auditorias independentes. A empresa informa, ainda, que está apurando o caso em questão”.

Veja também