Ponta Porã e mais 12 municípios receberão a vacina Janssen

Ministério da Saúde deve encaminhar mais 150 mil doses de vacina contra a Covid-19, da Janssen, a Mato Grosso do Sul. A informação tem sido veiculada por senadores sul-mato-grossenses, que participaram dessa negociação, e foi confirmada hoje (24), pelo secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende.

Segundo o Campo Grande News, isso já estava dentro do previsto, o governo federal havia concordado em repassar maior quantidade para o Estado. A diferença é que essas vacinas, agora, vieram de doação dos Estados Unidos, ao invés de aquisição feita pela União.

A ideia inicial é que se utilize esses produtos nos 13 municípios fronteiriços de MS, para fazer um “cinturão sanitário da fronteira”, vacinando pessoas com 18 anos ou mais. Segundo Resende, o infectologista da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) Julio Croda deverá ser responsável por esse estudo.

Os municípios fronteiriços são Mundo Novo, Japorã, Sete Quedas, Paranhos, Coronel Sapucaia, Aral Moreira, Ponta Porã, Antônio João, Bela Vista, Caracol, Porto Murtinho, Corumbá e Ladário.

“Será importante para avançar a imunização mesmo de todo o Estado, já que as vacinas que viriam para esses municípios vamos distribuir para os outros 66 municípios”, explica.

Seria outro lote além das 105 mil vacinas que devem chegar nesta quinta-feira (24) e há possibilidade de ser encaminhado um outro adicional, mas ainda não houve nenhum tipo de confirmação.

Mais vacinas

O Brasil receberia, inicialmente, 3 milhões de vacinas da Janssen, que reduziram pela metade. Apesar disso, foi anunciado ontem que os Estados Unidos doaria novos 3 milhões, totalizando 4,5 milhões de doses dessa patente.

No começo do mês, o Cosems (Conselho dos Secretários Municipais de Saúde) chegou a pedir que todo o quantitativo fosse destinado para Mato Grosso do Sul, líder em aplicação de vacinas, já que o prazo de validade estava perto de terminar.

Esse pedido gerou uma série de mobilizações nas redes sociais no mês de junho, inclusive até de parlamentares locais como o deputado estadual Amarildo Cruz e a vereadora Camila Jara, ambos petistas, ou os deputados federais Fábio Trad (PSD) e Rose Modesto (PSDB).

Por meio da hashtag #vacinageralms, pediu-se que o governo federal disponibilizasse até todo o quantitativo de imunizantes ao Estado, sob justificativa de que se conseguiria aplicar todas as vacinas antes de expirar a validade, prevista em 27 de junho.

Contudo, decisão da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), semelhante ao que foi decidido pelo órgão estadunidense de regulação, ampliou esse prazo para mais um mês e meio. – CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

Veja também