Boliviana investigada em acidente da Chapecoense é presa pela Polícia Federal

A Polícia Federal de Corumbá prendeu nesta quinta-feira (23) a boliviana Célia Castedo que estava morando naquela cidade depois de fugir e pedir exílio ao ser denunciada como uma das responsáveis pelo acidente com o avião da empresa aérea Lamia que matou 71 pessoas entre jornalistas, pilotos, tripulantes e quase toda a equipe da Chapecoense com exceção a dois jogadores.

Célia era controladora de voo e responsável pela análise e aprovação do plano de voo da aeronave, que caiu em novembro de 2016, caiu ao se aproximar do aeroporto internacional José Maria Cordova, em Rio Negro, a poucos quilômetros da cidade de Medelín, na Colômbia.

Autoridades bolivianas acusam Castedo que é especialista em segurança de voo e, na ocasião, teria deixado, fraudulentamente, de observar os requisitos procedimentais mínimos para a aprovação do plano de voo da aeronave.

Investigações apontaram que a aeronave caiu por falta de combustível, já que o planejamento aceito por Célia não dava autonomia de voo adequado para a viagem.

Célia Castedo vai permanecer presa na Polícia Federal em Corumbá até o fim dos trâmites legais para que ela seja expulsa do Brasil e entregue para as autoridades bolivianas.

Pax Primavera
Veja também

Ao continuar navegando nesse site, você concorda com o uso de cookies. Estou ciente Saiba mais