Guerrilheiros libertam menonita sequestrado no Paraguai

Familiares do eletricista Peter Reimer de 23 anos, confirmaram há pouco que ele foi libertado depois de ficar nove dias em cativeiro. Reimer foi levado por homens do autodenominado Exército do Povo Paraguaio (EPP) quando deixava uma propriedade rural em Santa Rosa del Aguaray, no Departamento de San Pedro. Outras três pessoas que estavam com ele, inclusive um sobrinho foram deixados para trás.

Em um comunicado o grupo guerrilheiro exigiu a quantia de 500 mil dólares para a libertação de Peter, mas a família alegou não ter o dinheiro e o valor foi trocado por cestas de alimentos que deveriam ser distribuídas para comunidades indígenas e carentes do interior do país e em Assunção.

Houve então uma mobilização da comunidade menonita a quem Peter pertence e as cestas básicas foram montadas com doações. Algumas lideranças indígenas, mesmo vivendo em pobreza extrema não aceitaram a oferta dos sequestradores. A entrega do “resgate” foi concluído no final de semana e nesta madrugada o jovem foi libertado.

De acordo com as primeiras informações Peter está bem e foi deixado em uma aldeia indígena nas proximidades do local de onde foi sequestrado e já está na casa dos familiares.

As autoridades paraguaias ainda não fizeram nenhum pronunciamento sobre a libertação de Peter e no começo o próprio presidente Mário Benitez Marito, esteve pessoalmente com a família, mas depois se afastou do caso para facilitar a negociação dos menonitas com o EPP.

A distribuição de alimentos foi uma exigência dos sequestradores.(Foto:Carlos Aquino/Última Hora)
Veja também