Acusado de tentar matar mulher na avenida Brasil segue internado e escoltado pela polícia

Continua internado no Hospital Regional de Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai, Douglas Luan Vera, de 22 anos, que no último sábado (16), tentou matar Waleska Firmino, de 27, quando ela saia de um supermercado localizado na avenida Brasil.

Após o atentado, Douglas fugiu para Pedro Juan Caballero, mas acabou identificado pela Polícia Nacional, e como estava ferido, foi levado ao hospital daquela cidade.

No entanto, por ter nacionalidade brasileira, foi entregue às autoridades policiais de Ponta Porã e segue internado sob escolta policial, conforme apurou a reportagem na manhã de hoje, junto ao secretário municipal de Segurança Pública, Marcelino Nunes.

O atentado

Na noite de sábado (16), uma mulher identificada como Waleska Firmino, de 27 anos, foi baleado na saída de um supermercado, localizado na área central de Ponta Porã, cidade que faz fronteira seca com o Paraguai.

De acordo com o boletim de ocorrência, Waleska deixava o estabelecimento, na avenida Brasil, quando foi surpreendida por um motociclista que efetuou vários disparos e depois fugiu.

A mulher foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada até um hospital. Não foram divulgados outros detalhes sobre seu estado de saúde.

Ainda conforme informações apuradas pela reportagem, dois policiais militares estavam próximos ao local do atentado e perseguiram o autor, inclusive efetuando disparos, no entanto, o mesmo conseguiu fugir para Pedro Juan Caballero.

Ele se feriu e também foi levado para um hospital local, onde recebeu voz de prisão por tentativa de homicídio. Após isso, o jovem foi transferido para o Brasil, já que possui nacionalidade brasileira.

Ainda não há detalhes do que motivou o atentado.

Veja também