Como resposta à onda de assaltos e furtos, forças policiais deflagram operação Ponta Porã Segura

Como resposta à onda de assaltos e furtos nos últimos dias em Ponta Porã, as polícias Militar e Civil e GCMFron (Guarda Civil Municipal da Fronteira) iniciam nesta sexta-feira (22), a operação Ponta Porã Segura.

A ação acontece simultaneamente com a [operação] Ágata, deflagrada esta semana em toda a faixa de fronteira entre Brasil e Paraguai, por meio do 11º Rc Mec (Regimento de Cavalaria Mecanizada) que visa combater o tráfico de drogas.

Como já mostrado pelo Ponta Porã News, quase 2 mil policiais entre as forças brasileiras e paraguaias estão mobilizados.

Segundo o secretário municipal de Segurança Pública, Marcelino Nunes, horários e local da operação não serão divulgados para manter o que ele chamou de “caráter surpresa”.

Além disso, acontece uma terceira operação da Polícia Militar denominada Presença, que não tem data prevista para encerrar e que já prendeu três foragidos da Justiça, sendo um em Ponta Porã e dois no distrito de Nova Itamarati.

Esta ação é deflagrada também no distrito de Sanga Puitã, e nos municípios de Aral Moreira e Antônio João.

Homicídios na fronteira

Desde ontem (21), a cidade de Pedro Juan Caballero está em alerta após a tentativa de homicídio contra o advogado Daniel Montenegro, e também devido ao assassinato do suboficial da Polícia Nacional do Paraguai, Secundino Cañiza.

Também na quinta-feira, uma jovem de 19 anos recebeu uma caixa com uma língua, cadeado, dois projéteis nove milímetros com o recado: “segura sua boca”.

Já no início da tarde de hoje, um homem de 32 anos, identificado como Robert Gabriel Montiel, foi executado a tiros na avenida Carlos Antônio Lopes esquina com a Manuel Domingues, no centro de Pedro Juan.

Veja também