Foto: Divulgação/SIG

Acompanhado de um advogado, G.B.C, de 25 anos, se apresentou ontem (17), na Delegacia de Polícia Civil, alegando legítima defesa na morte de Roberto Carlos Ayala Duarte, de 47, no sábado (14), no bairro Estrela Porã, em Dourados.

Segundo informações policiais, o autor seria enteado de Roberto, e conforme relatado por ele, o crime aconteceu depois do homem ter agredido sua mãe, e a ameaçar de morte.

No sábado, a mulher teria dito ao filho que Roberto a agrediu, havia comprado uma arma de fogo, e estava fazendo ameaças de morte. Após o relato, o autor foi até a casa, pegou o revólver, mas com a intenção de conversar com o esposo da mãe, ainda segundo o rapaz em depoimento.

Passado um tempo, Roberto chegou ao imóvel e começou a tentar a agredir o autor que para se defender, segundo a versão por ele apresentada, sacou o a arma e efetuou os disparos.

Após o crime, o autor fugiu em uma bicicleta e jogou a arma num matagal. Policiais do SIG (Setor de Investigações Gerais) foram até o local e encontrou o revólver calibre 38.

O autor foi indiciado pela prática de homicídio doloso e responderá ao Inquérito em liberdade. De acordo com a polícia, várias testemunhas serão ouvidas para esclarecer se a versão apresentada pelo autor, condiz com a realidade.

Investigações

Inicialmente os policiais trabalhavam com a hipótese de que Roberto Carlos teria sido assassinado devido uma rixa que ele teria após ter ficado preso por homicídio, no entanto, na segunda-feira (16), o SIG foi informado que o homem tinha um relacionamento conturbado com a esposa, e que após o consumo de bebidas alcóolicas, ambos teriam discutido.

Assim, os filhos da mulher passaram a ser identificados como suspeitos do crime.

Realizadas várias diligências com a finalidade de confirmar a identidade do autor dos disparos, G.B.C foi identificado.

Relembre o crime

Por volta das 20h de sábado, Roberto Carlos foi morto ao ser atingido por disparos de arma de fogo na ocasião em que se encontrava em frente de sua residência.

O assassino teria chego, efetuado os disparos e depois fugido.

Segundo informações apuradas pela polícia, Roberto estava sendo ameaçado já que teria envolvimento num homicídio, e avisou a família que a qualquer momento poderia ser morto.