Operação da Senad prende acusados de tráfico na fronteira entre Brasil e Paraguai

Pelo menos quatro pessoas acusadas de tráfico foram presos na manhã desta terça-feira (6) em uma Operação da Secretaria Nacional Antidrogas (SENAD) do Paraguai em Pedro Juan Caballero. Os presos são acusados do envio de grandes quantidades de entorpecentes para o Brasil e pelo menos quatro locais foram localizados como esconderijo de maconha e moradia dos detidos.

As prisão ainda são reflexo de uma investigação iniciada em 2020 na Operação Gredos que investigava a forma de organização da quadrilha, desde o plantio da maconha, a negociação com organizações criminosas brasileiras e o envio do entorpecente para vários estados.

A SENAD denominou o trabalho desta terça-feira feira como Operação Reflexo e prendeu o brasileiro Celso Nei Mendes dos Santos de 38 anos, acusado pelas autoridades paraguaias de ser a pessoa que bancava financeiramente todo o esquema.

O Júlio César Cáceres Espínola de 36 anos. O paraguaio é apontado como o responsável por toda a logística da quadrilha ao lado do também paraguaio Willian Ramón González de 28 anos.

Já o intermediário entre a quadrilha a as organizações criminosas do Brasil foi apontado como sendo Eugênio Gómez Jara de 68 anos. Ele mantinha contado com os compradores e fazia o trabalho intermediário até a droga chegar aos compradores.

De acordo com as autoridades paraguaias, o serviço de inteligência descobriu que a quadrilha estava concentrada na área rural das Colônias de Maria Auxiliadora e Santa Clara, onde a droga era cultivada e depois enviada ao Brasil em veículo preparados com fundos falsos para ocultar o entorpecente.

Um barreira foi montada na região e os condutores de uma caminhonete Toyota e uma Nissan não obedeceram a ordem de parada e fugiram abandonado os carros carregados com cerca de meia tonelada maconha em uma plantação de milho. Na investigação pelo menos cinco pessoas foram presas utilizando motocicletas para transportar a droga.

Na casa onde foi preso o brasileiro Celso Eni Mendes dos Santos, os agentes da SENAD apreenderam R$ 53 mil e 4.200 dólares. Também foram apreendidos carros e diversas celulares que serão periciados.

Veja também