Réus da Operação “Piromania” são condenados a mais de 160 anos de prisão

Os réus da Operação “Piromania”, deflagrada pelo Gaeco, foram condenados pelo Juízo da 6ª Vara Criminal de Campo Grande pela prática de crimes de corrupção ativa, lavagem de dinheiro e de integrar organização criminosa a penas de prisão que variam entre 4 a 23 anos e que, somadas, alcançam 163 anos, 5 meses e 16 dias.

Deflagrada em maio de 2020, a ação é fruto de uma investigação do Ministério Público de Mato Grosso do Sul, por meio do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado, com o apoio do Batalhão do Choque e do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso do Sul.

Foram investigados membros da organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) atuantes em Mato Grosso do Sul, os quais se dedicavam ao tráfico de drogas, assaltos e à lavagem de dinheiro.

No curso da investigação foram realizadas 13 prisões em flagrante e apreendidos 578,41 Kg de maconha, 5,27 Kg de cocaína e 5,59 Kg de pasta base de cocaína, além de R$ 100.000,00 (cem mil reais) em espécie.

Parte dos acusados tinha o hábito de, como forma de ostentação, gravar vídeos exibindo grande quantia em dinheiro obtida ilicitamente, bem como de queimar notas de reais de alto valor, razão pela qual a Operação recebeu o nome de “Piromania”.

Pax Primavera
Veja também

Ao continuar navegando nesse site, você concorda com o uso de cookies. Estou ciente Saiba mais