Dor e sofrimento: governador chora morte da filha na fronteira

Marcos Morandi*

Impotência e dor. Estas são palavras que extrapolam fronteiras e mostram a fragilidade de um ser humano diante da violência, independente do cargo que ela ocupa na hierarquia do poder político, principalmente quando o cenário é a fronteira, onde a violência é o inimigo a ser combatido.

“Com dor e impotência vimos o governador de Amambay, Ronad Acevedo, visitando o local onde sua filha Haylée foi assassinada, quase um mês depois do trágico acontecimento que também cegou a vida de outras duas jovens inocentes”, escreveu um internauta.

Segundo essa mesma fonte, outras pessoas passaram pelo local e viram o governador checando os buracos das balas que também atingiram as paredes de concreto de um estabelecimento localizado nas proximidades. “Depois de fazer uma prece aos céus, ele sentou no meio fio e chorou”, disse o leitor.

A reportagem, em conversa com moradores de Pedro Juan Caballero, políticos que tem proximidade com a família Acevedo, apurou que o governador continua muito abalado com o que aconteceu no dia 9 de outubro, quando quatro pessoas foram executadas.

Aos amigos mais próximos também perante os moradores de Pedro Juan Caballero, o governador não esconde os sentimentos de tristeza não só pela morte da filha, mas também por não estar conseguindo vencer a guerra contra o crime organizado na fronteira.

Durante um manifesto realizado em frente à universidade onde as outras duas vítimas estudavam, o governador admitiu a impotência diante dos últimos fatos. Ele chegou a pedir desculpas aos familiares das pessoas mortas e reconheceu que a batalha contra a violência na fronteira está longe de acabar.

Haylee Acevedo, filha do governador de Amambay, completou 22 no dia 28. Ela foi assassinada em 9 de outubro, com mais três pessoas quando saía de uma festa em Pedro Juan, cidade que faz fronteira com Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul.

No dia do aniversário da filha, a data foi lembrada pelo governador em poucas palavras, mas carregadas de sentimentos. “Um abraço para o céu, querida filha. Amo te muito e sinto a tua falta”, disse Acevedo em uma publicação feita em seu perfil no Instagram.

Veja também