Foto: Paulo Francis

Seis ônibus foram abordados ontem (16), pela Polícia Federal, após suspeita de transporte irregular, tendo bolivianos como passageiros. Pelo menos 200 passageiros viajavam nos veículos, e agora, serão deportados para a Bolívia a qualquer momento.

Segundo o Campo Grande News, os coletivos foram escoltados pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) em cinco viaturas até o pátio da PF do Aeroporto Internacional de Campo Grande.

Um dos ônibus já foi vistoriado e, aparentemente, nenhum material contrabandeado ou droga foi encontrado.

Enquanto aguardam enfileirados a conclusão dos trabalhos, os bolivianos reafirmam a versão de que estavam indo fazer compras em São Paulo. Muitos, no entanto, sequer entendiam o que estava acontecendo ou evitavam falar.

“No entiendo, no entiendo”, repetiam alguns dos bolivianos ao serem questionados sobre a viagem.

Suzana Paz, de 40 anos, é uma das passageiras e admite que não tirou visto para viagem, ou seja, entrou no país de forma ilegal. Desde sábado (14), a entrada de estrangeiros via terrestre no país também está proibida em razão da contaminação por Covid-19. A medida vale por 30 dias.

“Esta é a segunda vez que faço o trajeto, na primeira vez eu tinha documentação, mas agora não”, comentou. Ela conta que tem um “mercadinho” na Bolívia e estava indo comprar “alimentos” em São Paulo, mas não detalhou qual o tipo de mercadoria.

Outra passageira, que não quis se identificar, disse que saiu da Bolívia também com destino a São Paulo para comprar café que revenderia em sua feira em Corumbá.

Ainda segundo o site, a Polícia Federal investiga se a vinda dos bolivianos, a partir da fronteira brasileira com a Bolívia, tem relação com a atuação de “coiotes”, como são conhecidas pessoas que atuam na entrada sem documentação correta de estrangeiros.