O secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, anunciou nesta segunda-feira (4.5) a interdição de duas unidades de um laboratório particular de Campo Grande. Segundo o titular da pasta, entre as causas para a medida está a falta do alvará da vigilância sanitária e questões sanitárias.

Resende alerta que as unidades realizavam exames de diagnóstico do novo coronavírus. “Uma dessas unidades estava realizando o exame RT PCR fora do padrão para nossa população, com isso muitos testes deram falsos positivos”, explicou.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) alerta que população tem autonomia para fazer o teste rápido, em qualquer estabelecimento privado, orientando que o cidadão se certifique que o teste rápido possua essas duas aprovações: Anvisa e INCQS (Instituto Nacional Controle Qualidade em Saúde).

O laboratório em questão terá sete dias para adequar-se à legislação e, assim, voltar a operar em Campo Grande.