Notícias de Ponta Porã e Pedro Juan Caballero

MS receberá vacina contra a Covid-19, afirma Ministério da Saúde

Nota do Ministério da Saúde divulgada ontem (9), afirma que Mato Grosso do Sul receberá doses da vacina contra a Covid-19, assim como os demais estados do Brasil. Isso deverá ocorrer quando o uso emergencial for aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Até o momento, duas fabricantes fizeram a solicitação à Anvisa: o Butantan e a Fiocruz, isso para a utilização da Coronavac e a de Oxford, respectivamente.

No entanto, o Ministério da Saúde assinou o contrato apenas com o Butantan, para a aquisição de 46 milhões de doses da vacina fabricada pelo instituto, mas outros imunizantes em negociação, e que tenham aval da Anvisa, serão incorporados e distribuídos à população.

Em reunião na sexta-feira (8), representantes do Ministério da Saúde e do Instituto Butantan afirmaram que todas as vacinas produzidas pelo laboratório paulista serão adquiridas pelo Governo Federal e incorporadas ao Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19.

Desta forma, todos os estados recebem doses simultaneamente para dar início à imunização, em logística integrada entre o ministério e as secretarias de saúde estaduais e municipais.

Aqui no Estado, o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, já afirmou que uma força-tarefa foi montada para encaminhar as doses aos 79 municípios de MS em tempo recorde de até 48 horas.

O secretário também disse que Mato Grosso do Sul possui agulhas e seringas suficientes iniciar a vacinação, além de processo de compra de mais equipamentos para toda a campanha, que deve durar meses.

“Serão quase 600 postos de imunização nos 79 municípios”, afirmou Resende, segundo publicado pelo jornal Correio do Estado.

Ainda de acordo com a reportagem, a quantidade de doses que cada estado receberá não foi divulgada, porém a distribuição será proporcional à população de cada unidade da federação.

A previsão é que a campanha comece assim que os imunizantes receberem autorização da Anvisa – para uso emergencial ou o registro definitivo.

Logística e o calendário da campanha de vacinação ainda não foram divulgados, portanto, não há uma data definida para o início da vacinação, mas expectativa é que aconteça em janeiro.

O resultado das solicitações para uso emergencial deve ter resultado divulgado no prazo máximo de dez dias.

Pax Primavera
Veja também

Ao continuar navegando nesse site, você concorda com o uso de cookies. Estou ciente Saiba mais