Brasil registra queda nos focos de queimadas no 1º semestre

O Brasil registrou uma queda de 3,49% no número de focos de queimadas entre janeiro e julho de 2022 em comparação ao mesmo período do ano passado. O levantamento, realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), envolve os seis biomas existentes no Brasil: Amazônia, Cerrado, Pantanal, Mata Atlântica, Caatinga e Pampa.

Uma das estratégias para combater os focos de incêndios no país é a operação Guardiões do Bioma – Combate a queimadas e incêndios florestais, que está na segunda edição.

Coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, com apoio do Ministério do Meio Ambiente, a operação conta com um efetivo de 1250 combatentes por mês nos estados, 1800 agentes da Força Nacional de Segurança Pública prontos para atuar e mais de 3 mil brigadistas do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e PrevFogo/Ibama. A atuação ocorre em 15 estados da Amazônia, Cerrado, Pantanal, Mata Atlântica e Caatinga.

A segunda edição da operação começou em 21 de junho e deve prosseguir até janeiro de 2023 com ações contra o fogo, investigação dos crimes ambientais e uso de equipamentos de contenção de incêndios, como embarcações, reboque, drones e GPS. As operações são realizadas no Acre, Amazonas, Amapá, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Piauí, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima e Tocantins.

A primeira fase do eixo de Combate aos incêndios florestais da operação Guardiões do Bioma foi lançada em 1 de julho de 2021 e terminou em 31 de janeiro de 2022. Nesse período, mais de oito mil profissionais atuaram no combate a 18,3 mil focos de incêndios florestais e 7 mil crimes ambientais. Foram 3.853 ações preventivas, 1.607 multas aplicadas e 137 maquinários apreendidos, além de 1.580 animais resgatados nos 11 estados brasileiros. Houve, ainda, a apreensão de 5.848 m³ de madeira.

Veja também